GRUPO SOCIALIZANDO

Início » Artigos » O fantasma de Hitler

O fantasma de Hitler

Anúncios

Felipe Augustoservletrecuperafoto

Grupo Socializando

Noutro dia assisti num telejornal uma reportagem que chamava a atenção pela seriedade dos fatos apresentados. Tratava-se do movimento neonazista que é uma realidade no Sul do País. Os neonazistas cultivam os mesmos ideais doentios que foram responsáveis na II Guerra Mundial, por uma das maiores carnificinas que a humanidade já viu.

Isso é preocupante porque essa ideologia, agora, à moda brasileira se torna uma ameaça explícita respaldada no ódio pelos judeus, negros, gays e nordestinos. Não bastasse a militância favorável ao nazismo, ou seja, a cultivação da cultura nazista, esse movimento objetiva fundar um novo país.
Vale dizer que uma ideologia possui bastante força quando se encontra impregnada na mentalidade de pessoas que a aderem. Numa palavra, é a impulsionadora da instalação prática do que se defende ideologicamente. Defender o nazismo é compactuar com ideias de muito derramamento de sangue sobre o mapa da humanidade que já foram postas em prática e registradas pela história.

Ao mesmo tempo em que parece difícil acreditar que pessoas sejam favoráveis a tal postura, não menos difícil é conceber que a defesa dessas pessoas seja respaldada por uma justificação de buscarem, com atitudes absurdas, um mundo melhor. O estado de risco dos seres citados acima é a proposição dessa cultura nazista.

Imagem: Wikipédia

Outro elemento que não poderia deixar de constar nesta análise é o fator responsável pelo surgimento e também pela manutenção dessa cultura. É preciso detectar, minuciosamente, a fonte desse comportamento para que seja estancado tal extremismo justificado por um ódio sem explicação, proveniente de capítulos sombrios e horrorosos da história humana.
Não é possível que mesmo depois de tanta desgraça causada a milhões de pessoas, o objetivo e a mentalidade do homem que conduziu a humanidade para uma tremenda barbárie, continuem sendo modelos a ser seguidos.

Quanto à proliferação dessa mentalidade é necessário que se busque conhecimento do que isso gesta e do que pode gestar na sociedade brasileira. E o cuidado no que se refere a linhagens representativas que possuam um discurso alinhado a esse comportamento deve ser redobrado. Ler e reler bons livros de história e de sociologia parece também ser uma boa dica para abrir a mente.

Em tempos de movimentos que pregam o separatismo de umas regiões das outras, precisamos sim de um novo País. Mas o novo Brasil que deve, desde já, ser construído precisará dos moldes do respeito pelo diferente e da união do seu povo. A continentalidade que nos une representa em seu sentido expressivo a diversificação que nos torna singulares.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: